A Banda Musical Leverense foi fundada a 8 de dezembro de 1832, sendo então Pároco, o Reverendo José Pinto Aleixo.

A sua fundação ocorreu durante o conturbado período das Guerras Liberais, como fruto da influência que tinham sobre a sociedade civil, as forças militares então instaladas na «Fábrica de Arcos de Ferro» e «Arcos de Verguinha». Estas unidades fabris situavam-se na Quinta do Engenho e produziam diferentes materiais bélicos, facto que contribuiu para que a primeira denominação desta Banda tivesse sido «Banda Marcial de Lever».

Como consequência desse período de autêntica Guerra Civil que a nossa sociedade atravessou, poucos registos sobraram da sua primitiva organização. Apenas se sabe que os seus primeiros diretores foram D. Sá da Casa de Mourães, D. Vergueiro do lugar da Mata e D. Januário do Abrecôvo.

Ao longo destas quase duas centenas de anos de existência, a Banda Musical Leverense atravessou muitos momentos de glória, assim como outros em que as vicissitudes foram grandes, mas sempre ultrapassadas com brio e determinação pelo povo Leverense. De realçar a família Rocha que ao longo de 82 anos, envolvendo três gerações, conduziu os destinos desta Coletividade.

Nas últimas décadas, a Banda teve Paulo Vidal como seu presidente, que com muito empenho e espírito de sacrifício, assim como com a preciosa ajuda de António Cunha, a elevaram a um nível superior. Foi com eles que a Banda Musical Leverense alcançou a Medalha de Ouro da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, assim como a denominação de Instituição de Utilidade Pública, em dezembro de 1993.

A Banda teve como Maestros nomes como Manuel Gomes, Luís Monteiro, Elias Conceição, António Costa, António Conceição, Hélder Magalhães, André Ferreira, e, desde 2016, Ivo Silva.

Além da Filarmónica, o universo da BML apoia-se noutros pilares fundamentais, como o seu Grupo Coral que é formado por 20 elementos e centra a sua atividade em cerimónias religiosas. Também a Orquestra Juvenil, com cerca de quarenta jovens nas suas fileiras, constitui um importante setor onde são alargados e solidificados os seus conhecimentos. Por último, a Academia de Artes da BML funciona com as vertentes de formação musical, classe de conjunto e instrumento, fazendo-se valer de professores qualificados para as diversas disciplinas, constituindo o «viveiro» que contribui decisivamente para solidificar as bases da Banda Musical Leverense.